INFELICIDADE PROFISSIONAL TEM NOME

with Nenhum comentário

Dias atrás publiquei um vídeo para celebrar o dia do Psicólogo, profissão que escolhi. Neste relato fiz uma reflexão sobre como decidi por esta profissão, percebi que escolhi por querer e não por acaso!

Então antes mesmo de iniciar a faculdade, já no ensino médio fiz um curso técnico só para ter certeza da minha escolha, pois tinha uma matéria relacionada a Psicologia. Além disso, busquei ouvir profissionais e estudantes da área para ficar mais segura.

Acredito que todo passo na nossa carreira deve seguir um caminho de troca e confirmação do seu querer (do seu motivo).

O meu relato foi para aqueles que pensam em ingressar nesta formação ou mesmo iniciar outra. Não falo apenas da primeira graduação, mas a pergunta que provoco é para todos os passos e, principalmente, para os investimentos que você fará na sua carreira. Qual é o seu querer ?!

Todas as vezes que você pensar em investir um dia, um mês, um ano, não importa, pense por quê? O que você quer de verdade?

As pessoas se assustam quando pergunto: por que você escolheu esta faculdade? E quando não vem algo muito bem desenhado, percebemos que aquela escolha lá trás não teve um querer genuíno, algo que realmente estivesse claro.

Muitos de nós passamos por isso, seja pela idade, pela pressão, pela dúvida, não importa. O que quero dizer é que está tudo bem! O fato é que ao longo do tempo, somos convidados a pensar e encontrar um querer, um motivo que faça com que você permaneça naquela estrada ou mesmo que você possa aprimorá-la.

Se esta atualização não for feita dentro de você, existe um forte risco de você ser infeliz. E é uma infelicidade acomodada, muitas vezes silenciosa, pois você está habituado a viver assim.

Quando digo que infelicidade profissional tem causa, é porque vejo isto semanalmente através dos meus atendimentos. Dentro de um processo de orientação profissional, encontramos situações em que a infelicidade, não está apenas na equipe que não é bacana, no gestor que não ajuda, na cultura da empresa que deixa a desejar, e sim nas suas escolhas.

Vou além, muitas pessoas deixam de entender suas escolhas com sinceridade e pior, delegam o ajuste de uma escolha para terceiros, como por exemplo, o RH da empresa. Vamos lá, ninguém desenha o seu futuro, você é que comanda, ok?! Isso é ótimo, mas tem um peso chamado responsabilidade e decisão.

Posso dizer por experiência que devemos mudar a rota quando percebemos qual é a causa da nossa infelicidade, porque se não fizermos isto a nossa integridade profissional pode até ficar comprometida.

Será que a sua infelicidade não está lá trás? Será que você não deixou passar a chance de encontrar um porque na sua escolha? Mesmo que você tenha seguido um caminho profissional por acaso, tenho certeza que você tem um querer escondido, aquilo que realmente brilha os olhos para você permanecer neste caminho.

E se não encontrou, nunca é tarde para ir com tudo e resolver a causa da sua infelicidade. Limpe o caminho para encontrar algo que realmente faça mais sentido para você.

Sempre existe solução, mesmo que você ache que não! MOVA-SE e busque os seus motivos verdadeiros que elevarão o seu nível de satisfação profissional. 

 

 

 

Encontre outro artigo relacionado ao tema AQUI!

 

Nos últimos anos tenho me dedicado a projetos de consultoria na área de Desenvolvimento Profissional.  Sempre fui apaixonada pelo tema carreira e atuo auxiliando pessoas a planejarem seus próximos passos profissionais, através de suas histórias, experiências e sonhos. Meu propósito é ampliar o campo de visão, autoconhecimento e direcionamento provocando melhores resultados frente aos desafios profissionais de cada indivíduo.

 

photo by: freepik

Deixe uma resposta